STREAMING

E o assunto de hoje é Streaming

Como muitos termos que descrevem novas tecnologias, streaming é uma palavra que pegamos emprestada do inglês. Stream significa riacho ou córrego, e a terminação ING remete a uma ação (no gerúndio). Por isso, podemos traduzir streaming como um fluxo. Aplicado à tecnologia, é um fluxo de dados multimídia. De forma simples, streaming pode ser entendido como um modo de distribuição de dados via internet, através de uma transmissão contínua.

A grande sacada do streaming é permitir que o internauta assista ou ouça conteúdos sem que ele precise baixar os arquivos. Em vez disso, o dispositivo usa apenas um tipo de armazenamento temporário, chamado buffer, e vai transmitindo os dados ao consumidor logo após receber esses dados.

Além de poupar bastante espaço no disco rígido, essa forma de distribuição tornou possível ao público consumir conteúdos protegidos por direitos autorais sem que violem esses direitos. Isso porque, com o streaming, não é necessário baixar os conteúdos, portanto não são produzidas cópias ilegais nos dispositivos usados para assistir um vídeo ou ouvir uma música.

Existem dois tipos de streaming. No primeiro, conhecido como on demand, o conteúdo fica armazenado num servidor. Para ser acessado pelo internauta, é necessário um site ou aplicativo específico. O segundo tipo, live streaming, é usado para transmissões ao vivo – permitindo, inclusive, interação por parte do público que está assistindo.

Youtube, Netflix e Spotify são exemplos populares de transmissão via streaming. Mas a tecnologia vem ganhando cada vez mais adeptos entre grandes e pequenas empresas, desde rádios digitais até serviços de TV on demand. No início de 2017, o Facebook também adotou o live streaming, permitindo que seus usuários possam realizar transmissões ao vivo pela rede social.

Streaming tem tudo a ver com inovação, porque é uma tecnologia que mudou profundamente a maneira como consumimos conteúdos pela internet. O streaming possibilitou que cada um acompanhe uma aula ou evento em tempo real e com qualidade. Serviços que adotaram essa tecnologia deram ao público o poder consumir grande quantidade de vídeos e músicas, pagando mensalidades, na maioria das vezes, bem inferiores à contratação de pacotes de TV paga, por exemplo. E com a vantagem de poder assistir ao programa escolhido a qualquer momento, pausar, voltar, assistir novamente, entre outras funcionalidades.

Ao que tudo indica, a transmissão via streaming será o futuro da televisão e do rádio, já que as novas gerações têm consumido cada vez mais seus programas, séries e filmes favoritos pela internet. E você, já usou ou pensou em usar projetos de streaming para criar seu canal, mostrar o quanto você sabe sobre seu assunto ou mesmo posicionar seu negócio de forma correta para seu público alvo? Lembre-se: no passado, fazer transmissão ao vivo e poder alcançar milhares de pessoas era algo caro e restrito a grandes empresas. Hoje, esta tecnologia está disponível. Apenas tenha cuidado para fazer um conteúdo que seja relevante, original e direcionado para seu público (senão, o assunto pode entrar pela culatra).

Até a próxima!

Por Marcelo Pimenta (Menta90). Jornalista, professor e criador do blog Mentalidades.
Conheça as palestras e cursos que ele oferece e saiba como ele pode te ajudar a inovar.

Comentários facebook

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se a discussão?
Sinta-se à vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *