Menta90

Você já ouviu a expressão “fazer do limão a limonada”? Ela é uma síntese do que é o mindset.  Há quem tenha iniciativa e criatividade para transformar limão em suco – são as pessoas que têm um mindset voltado para o crescimento – enquanto outras sempre encontram desculpa, reclamam, acham que tudo deve ficar como está, são resistentes às mudanças e atribuem a culpa de tudo ao universo, à crise política, econômica, etc. Precisamos compreender como cada um tem o poder de escolher assumir um papel de vítima da crise, ou de protagonista dos seus negócios e vida.

De maneira simples, mindset significa uma mentalidade (foco, inclusive, dos conteúdos deste blog), uma formação mental que faz com que a gente tenha determinados comportamentos.  No livro “Mindset: a nova psicologia para o sucesso”, a pesquisadora da Universidade de Stanford, Carol Dweck, detalha sobre conclusões tiradas de centenas de estudos sobre como as pessoas pensam. Ela cita uma divisão clara entre o que chama de mindset de crescimento, quando uma pessoa encara a vida e os desafios com otimismo e motivação; e mindset fixo ou de resistência, quando alguém não acredita que as coisas podem ser feitas de um jeito diferente, e deixa a responsabilidade da sua história nas mãos de fatores externos, que estão fora do seu controle.

Não quero, aqui, criticar ou ditar que todos precisam abandonar o mindset fixo. Acredito que cada um deve fazer aquilo que acredita ser o melhor. E, mesmo quem tem um mindset de crescimento, também vivencia momentos em que precisa enfrentar uma mentalidade de resistência.

Por exemplo: pelo menos duas vezes ou, quando consigo, três ou quatro vezes na semana, costumo acordar cedo para malhar. Além de ser saudável e me ajudar a manter o peso, os exercícios agregam disposição à minha rotina – que é bem agitada. Algumas manhãs, eu gostaria de ficar descansando, dormindo ou lendo. Nesses momentos, meu mindset de crescimento surge para abafar o mindset fixo, recordando sobre os benefícios de me exercitar.

A questão não são os fatos que acontecem, mas como você interpreta e assimila esses fatos.

Para alcançar o sucesso, precisamos desaprender algumas crenças limitantes, mudar nossa mentalidade e adotar uma postura de protagonista. Ou seja, focar naquilo que está sob nosso controle, transformar nossa percepção do mundo e nossa realidade. Porque o mundo exterior é formado a partir da nossa capacidade de enxergar, perceber, ouvir, processar a informação, e é aí que a realidade acontece.

Talvez pareça estranho, mas uma realidade única não existe. Ela existe na cabeça de cada um, através do processamento de informações que a pessoa sabe, das referências externas que ela tem, e isso já foi comprovado pela Ciência de inúmeras maneiras.

Podemos mudar o nosso mindset?

Com força de vontade e persistência, é possível transformar a nossa mentalidade. Uma das personalidades que nos ensina como fazer isso é o psicólogo e estudioso do comportamento humano Albert Bandura. Ele desenvolveu um processo guiado que fazia com que pessoas que tinham fobia de cobra pudessem ter a coragem de conviver com uma.

O processo de Bandura faz com que a pessoa vá, aos poucos, recuperando o que se chama de confiança criativa. Em apenas uma tarde, alguém com fobia, que não conseguia nem ouvir falar em cobra, consegue se aproximar e até tocar o animal. Isso vai acontecendo aos poucos. Primeiro, a pessoa ouve uma palestra em que aparecem fotos de cobras; depois, ela toca na foto impressa. Em seguida, a pessoa vai para uma sala, e as cobras estão na sala ao lado; depois, abre-se um vidro e as pessoas enxergam a cobra. Como podemos ver, esse processo leva à recuperação da confiança criativa de que tocar uma cobra é possível.

Podemos usar, também, um processo para mudar nossa mentalidade. Aos poucos, vamos treinando e recuperando a confiança de que existe uma condição em que podemos fazer as coisas de um jeito diferente.

Para tanto, é fundamental fortalecer as nossas bases, adotar alguns comportamentos. Saiba quais são eles neste post: https://menta90.com.br/mentalidade-criadora/dez-comportamentos-do-protagonista-de-sucesso

PS – este texto foi inspirado no bate papo com Paulo Milreu, organizador do Congresso de Inteligência Digital e Futurismo, evento que começou dia 7 de maio. Informações aqui

Você pode ouvir a entrevista completa aqui:

Comentários facebook

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *