O estudo foi realizado pela universidade de Stanford em parceria com a Microsoft. O estudo tomou como referência 32 mil usuários da pulseira inteligente da Microsoft, que autorizaram ser rastreados em suas caminhadas.

Os usuários mais aficionados acrescentaram 1.473 passos em suas andanças diárias. Isso quer dizer menos sedentarismo, mais saúde.

O cientista de Stanford, Tim Althoff, explicou que se assumirmos que jogando Pokemon Go uma pessoa der, em média, mil passos a mais por dia sua expectativa de vida aumenta em 41 dias. Mas, acrescentou que a questão é se esses jogos sustentarão engajamento a longo prazo.

Em agosto, a Bloomberg publicou matéria mostrando que o jogo chegou a 45 milhões de usuários no mundo, mas esse número vem caindo. Mesmo assim a quantidade de pessoas melhorando a expectativa de vida ainda é grande. Essa variação no número de usuários sempre acontece quando aparece algum aplicativo muito inovador, até que se estabeleça um quantitativo estável ou que mude completamente com a oportunidade de um novo aplicativo.

O mais interessante no caso é percebermos que a tecnologia pode ajudar na saúde de forma prazerosa. E pensar que se fizeram um jogo interessante assim, poderão vir muitos outros e que batalhar pra ser saudável pode vir a ser bem mais divertido do que apenas malhar em academias.

Quer ler mais?  MSPoweruser, The Guardian

Por Márcia Matos. Jornalista, especialista em educação a distância, estudiosa do mundo digital, com muita experiência em Tecnologia da Informação, consultora e palestrante, com vários artigos publicados. Ex- funcionária do SEBRAE e atualmente, na equipe do Laboratorium, é coautora do TREM – Trilha de Referência para o Empreendedor.

Comentários facebook

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *