Se um dia tivemos os gifs animados que poluíam as homepages, depois os tão famosos pop-ups, que deram trabalho para criar a funcionalidade de “bloqueio de pop-up” nos os navegadores, hoje temos o quê? Coisas que nenhum  browser resolve.  São a invasões de tela e as tentativas de “pegar a gente no laço”. Como hoje há muito conteúdo disponível, nenhum interesse é tão grande para impedir que usuários (como eu) fechem o site e não aceitem essa “forçação de barra”.

Escolhi cinco, as que mais me incomodam principalmente para alertar quem acha que está fazendo “inbound marketing” e na verdade está afastando o cliente do seu conteúdo. Afinal, cliente não se pesca, conquista-se.  Veja a lista das piores práticas para “conquistar” clientes na web:

1. Forçar pedido de cadastro

Porque alguém iria fazer um cadastro, em algum lugar de uma nuvem qualquer, sem uma boa justificativa? Mas tem muito site pedindo. Às vezes, para parecer que são legais, inventam um e-book. Este, sim, está muito na moda. Você vai lá, faz o cadastro, confirma o e-mail e volta pra pegar o e-book. O que recebe? Um pdf de dez telas de powerpoint com muita imagem e três linhas de texto em cada uma. Algo que jamais poderia ser chamado de e-book, porque não passa de uma apresentação comercial. Mas tem pior, tem uns que pedem e nem dão um panfleto, mas querem obrigar que se faça um cadastro apenas para ter acesso às suas “preciosas” informações. Já passei por situação de cadastro obrigatório em site de comercio eletrônico, antes de ver se havia alguma coisa que me interessava. Penso que um cadastro bem feito é um patrimônio para uma empresa séria, mas forçar cadastro na Internet é igual catar lixo na rua.

2. Pedido de curtida

Você entra em uma página apenas por estar navegando aleatoriamente, se distraindo. Aí vem a mensagem: curta minha página, dê um like. Que que é isso? Será que a gente curte alguma coisa que nem sabe bem o que é? Que ainda nem viu direito? Soube que existe serviços pra aumentar o número de curtidas no Instagram e no Facebook. Será que eles pensam que todos somos do tipo “maria vai com as outras”? Só porque muita gente curtiu eu também quero? Pior, se uma empresa se propõe a fazer curtidas falsas ela está no mundo da corrupção. A que contrata é pior ainda, porque sabe que está lidando no espectro da falsidade ideológica e aplicando um golpe. E que provavelmente não vai gerar resultado nenhum de negócio.

3. Capturar a qualquer custo emails para enviar newsletter

Essa é um pouco pior do que o pedido de curtida, embora menos pior do que o pedido de cadastro. Ela quer apenas o seu email para enviar newsletter. Aconteceu hoje comigo. E o mais interessante é que pesquisando sobre marketing no Google vi um título: “5 maiores erros do marketing de conteúdo para não cometer” Resolvi ler e.., olha o que aconteceu.

problema_1

Não e necessário dizer que não li. Quando uma mensagem desse tipo aparece no primeiro segundo desconfio que o texto é apenas uma pegadinha pra ganhar número de e-mails. Para que servem e-mails adquiridos assim? Para atirar no escuro. Só.

4. Anúncio obrigatório

Esse está na última moda. Você abre a página e antes de ler a primeira frase vem uma segunda tela, bem colorida, anunciando alguma coisa sobre a qual você não tem o menor interesse (pelo menos naquele momento). Não sei, nem me interessa saber se isso dá algum resultado financeiro para o anunciante, mas dá um resultado negativo para um usuário que, talvez, quem sabe, poderia vir a ser um cliente, um leitor ou até um participante do site. O melhor nessa hora é clicar no X. Não no do anuncio, que sempre demora para aparecer, como se você pedisse tempo para acabar de ler. Mas no da página mesmo.

5. Powerpoint

Adoro Powerpoint. Acho uma delícia trabalhar com ele e quando faço isso me divirto. Agora, ler uma informação qualquer feita em Powerpoint na tela de um site é a pior coisa que existe. A única exceção que faço é quanto está num site de apresentações, como o Slideshare. Lembro bem que, não faz muito tempo, um critério de usabilidade em um site estava relacionado ao número que cliques que um usuário precisaria dar para usar o site e acessar informações. Não sei se isso mudou, mas dez slides são dez cliques. Haja paciência! E não importa se a sua conexão é boa, isso incomoda muito. Faço uso do clique no X. Feliz.

Entendo que muitos estão “entrando” ou porque não sabem nada de marketing digital ou não entenderam de fato os conceitos de Inbound Marketing e do Marketing de Conteúdo. Se é verdade que uma empresa deve conquistar clientes, ela não deveria cobrar nada, nem mesmo um pequenino clique, mas encantar o cliente. Muito cadastro e muito curtida sem qualificação pode significar apenas custo no caixa da empresa, pois é mais espaço de armazenamento, mais volume de informação sem qualidade e utilidade, dificultando aproveitar os dados positivamente.

Uma página com muitas curtidas só tem sentido se desse número resultam negócios, caso contrário é enganar a si próprio.

Disparar milhões de newsletter? Tudo bem se você tem realmente milhões de clientes e não uma lista de nomes tomados ao acaso.

No fundo, bem no fundo, parece que há um desespero por “parecer ser” e não estratégia, qualidade e coragem para se destacar verdadeiramente no mar de produtos, serviços, conteúdos e lama que existe por trás das nossas telas.

Por Márcia Matos. Jornalista, especialista em educação a distância, estudiosa do mundo digital, com muita experiência em Tecnologia da Informação, consultora e palestrante, com vários artigos publicados. Ex- funcionária do SEBRAE e atualmente, na equipe do Laboratorium, é coautora do TREM – Trilha de Referência para o Empreendedor.

Comments Closed