“O sucesso é algo pessoal e intransferível”. Esse foi o consenso dos painelistas que participaram, na segunda-feira, 11 de julho de 2016, no auditório do Cubo de uma conversa franca e aberta sobre Glamour Empreendedor. Marcela Liz, Paola Tucunduva, Sandro Magaldi e Armindo Ferreira –  moderados por Marcelo Pimenta – deram sua opinião e interagiram com os cerca de 100 participantes (havia uma cadeira no palco onde qualquer convidado poderia subir e fazer uso da palavra).

2016-07-11 17.37.47Logo na entrada, era possível contribuir com latas de tinta spray para o projeto Criacidades

O MeetUp iniciou as 17h, onde os participantes chegavam e se apresentavam num pitch de “3 minutos”. E foi logo no início que o evento teve um dos seus pontos altos. O espaço foi usado para apresentação de  projetos bacanas de pessoas como Sérgio Perales (PerifaHub), Alexandre Trentini e Rafael Schimieder (que apresentaram a Keepz),  João Silva (falando do ecossistema do Maranhão e da sua startup Trends.Cards), Jennifer Rodrigues (da escola de empreendedorismo para a base de pirâmide Empreende Aí). Mas o destaque foi um garoto, aluno da Empreende Aí,  Guilherme Silva. Com uma desenvoltura de campeão e uma história de dificuldades devido a falta de condições mínimas de estudo, bem-estar, harmonia, Guilherme não se intimidou: “Eu vim aqui, eu e a minha irmã é porque nós sabemos que não precisamos morrer no Grajaú, a gente quer sair de lá, quer ir para a Disney, quer ter carro e apartamento como todos aqui. E foi por isso que a gente (eu a minha irmã Gabi) criou a Viva, Faça Mais e Compartilhe – um projeto de compartilhamento de conhecimento para que todos possam ter condições de fazer o que desejar da vida”.

WhatsApp-Image-20160711 (2)Gabi e seu irmão Guilherme dando o pitch do “Viva, Faça Mais e Compartilhe”

Passada a fase de networking, às 19h, os painelistas iniciaram um pequeno relado de suas experiências em empreender e ter sucesso em seus empreendimentos. Em seguida, os presentes foram convidados a compartilhar, relatando suas histórias ou fazendo perguntas.

Na essência de toda a conversa, três ideias nortearam a fala de cada apresentador: o aspecto pessoal, as dificuldades e o sucesso no ato de empreender. Como pano de fundo, o momento atual – considerando as expressões econômico-sociais, culturais e tecnológicas.
2016-07-15_0827

MARCELA-LIZNo relato de Marcela Liz, sobre sua experiência com o 1º Hackathon de prevenção à DST-AIDS, ela destaca que “Empreender passa por autoestima” e que o projeto, bem sucedido a ponto de ter sido selecionado para participação do 21ª Conferência Internacional de Aids – acontece em julho em Durban, África do Sul, “foi feito com zero de grana, mas com muita paixão e entusiasmo”. Mas alerta, que é preciso ter foco: “O dia tem 24h e não dá para realizar todas as idéias”.

Para Marcela, o trabalho duro e o sucesso de implementação de uma ideia não garantem que se obtenha sucesso com todas as ideias, por isso a referência que ela faz à importância do foco. Ao mesmo tempo, ela ressalta que nem sempre o dinheiro é que fará a diferença, mas a dedicação, a paixão e o entusiasmo.

” Ser empreendedor ficou na moda”. Foi com esta frase que Paola Tucunduva, profissional referência no empreendedorismo nacional, apresentadora do Programa Alma do Negócio iniciou sua fala. Empreendedora experiente e coach, acostumada a lidar com outros empreendedores, ela dá um destaque especial ao plano pessoal, e afirma que “nem todo mundo nasceu para ser empreendedor, assim como nem todo mundo nasceu para ser médico”. Destaca a influência da cultura empreendedora, amplamente disseminada, em aforismos que não cabem para qualquer pessoa, como a afirmação de que “você tem de ser empreendedor para ter sucesso”. E justifica: “para cada pessoa, ter sucesso é uma coisa”, além de orientar que cada um de nós “precisa responder a pergunta o que é ter sucesso para mim”.

0c85f77

Para Paola, “esse Glamour do empreendedor está iludindo muita gente a empreender” e com base em suas referências e repertório alerta, como muita segurança, que “empreender é uma montanha russa, hora você está lá em cima e outra em um buraco onde pensa: meu Deus estou fazendo tudo errado”. Mas, dá dicas importantes para que cada um possa refletir, destacamos três que são como mantras: 1) “Sucesso é você ter sonhos e conseguir realizar esses sonhos”; 2) “Empreender não é a resposta para todo mundo”; 3) O equilíbrio na vida é o que nos ajuda a ter sucesso”.

Sandro Magaldi,  CEO do MeuSucesso.com,   já de início contextualizou:  “hoje vivemos na era do “E”, eu quero ganhar dinheiro e ser feliz; antes vivia-se a era do “OU”: ou ganhava dinheiro ou era feliz”. Com essa fala ele introduz o seu entendimento sobre o que é sucesso: “sucesso é o desejo de protagonizar”. Para ele, “a ascensão do empreendedorismo é aliada a ascensão do protagonismo” e “a recompensa financeira nunca é a motivação principal”.

sandro-magaldiO problema que ele aponta é o fato de a sociedade convencionar que “sucesso é relacionado com grana”, porque acredita que o “sucesso é pessoal e intransferível” e que não cabe a ele – ou a ninguém – julgar, “mas sim respeitar a visão de sucesso de cada um”.

Ao encontro do que já haviam mencionado Paola e Marcela, Magaldi também crê que hoje é possível empreender com muito menos recursos, do que era necessário antigamente para fabricar ou criar um produto. “Grana é só uma métrica”. Complementa alertando que “Empreender é possível, mas não fácil”. Conta, ainda que aprendeu com os empreendedores do Meu Sucesso que todos eles têm algo em comum: “tiveram perrengue”, e que “ser protagonista é um comprometimento que devemos ter com nós mesmos”

Armindo Ferreira, consultor de empresas na área de inovação, negócios e marketing, começou perguntando quem na plateia era empreendedou ou desejava empreender. Diante das muitas mão levantadas avisou: “Se vocês querem empreender, vocês vão se ferrar, em várias escalas”.  E acrescenta: “Coisas da sua vida como torcer o seu pé não aparecem em canvas ou business plan”.

armindo-1

Ele fala da experiência de trabalhar empregado e de assumir o risco gerar sua própria grana de forma independente. Dos “perrengues” pelos quais passou para chegar até a construção do deu próprio blog, tendo de complementar seus conhecimentos de jornalista com aprendizado de tecnologia. Armindo mostra o lado duro de empreender e faz coro com os outros três especialistas, quanto à ter a garra, o foco e a coragem para enfrentar os desafios que levem à realização dos sonhos. Quando ele afirma que ao decidir empreender “potencialmente você vai se ferrar”, ele vivifica a fala de Magaldi quanto ao protagonismo, a de Paola quanto não ter à ilusão do glamour e, ainda assim, mostra o lado recompensador de empreender.

No final, Guilherme voltou a subir no palco e leu uma pequena poesia que tinha construído durante o evento e emocionou a todos.   E a  pergunta que fica é: quando teremos o próximo MeetUp Mentalidades? Provavelmente teremos o próximo em dezembro, adianta o criador do blog, Marcelo Pimenta. Se quiserem indicar sugestões de painelistas e temas a serem abordados, por favor, comente aqui.

 

Fotos do Evento: Alexandre Trentini. Rafael Servatti Schmieder e Danny Carvalho. Para ver o álbum completo, clique aqui.

Por Márcia Matos. Jornalista, especialista em educação a distância, estudiosa do mundo digital, com muita experiência em Tecnologia da Informação, consultora e palestrante, com vários artigos publicados. Ex- funcionária do SEBRAE e atualmente, na equipe do Laboratorium, é coautora do TREM – Trilha de Referência para o Empreendedor.

Comentários facebook

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *