Você já deve ter passado por uma situação que é muito comum: às vezes falta “inspiração”  para ter uma nova ideia. Mesmo as pessoas mais criativas têm momentos em que precisam de um “incentivo” para poder ter novas visões sobre como melhorar um produto, um serviço, um evento. Foi para ajudar nesses dias que o psicólogo americano  Alex Osborne criou uma ferramenta de brainstorming incentivado que pode ajudar na geração de novas visões.

O próprio brainstorming, também conhecido como “toró de palpite” , “tempestade de ideias”, “explosão cerebral”, por si só, é uma dinâmica muito útil para construir novas ideias de forma colaborativa. Para que ele tenha pleno sucesso é importante que sejam seguidas algumas regras, como aquelas criadas pela empresa IDEO:

1 – Uma conversa por vez. Se for o caso, pode usar post-its para escrever as ideias.

2 – Quantidade importa. Procure criar o máximo de ideias possíveis.

3 – Construa sobre a ideia dos outros.

4 – Encoraje as ideias doidas.

5 – Seja visual.

6 – Mantenha o foco. Não desvie do assunto proposto.

7 – Não faça críticas, nem julgamentos.

As regras do brainstorming também são válidas para essa técnica que é conhecida pela sigla SCAMPER. São as iniciais de ações que vão orientar seu brainstorming, ou seja, formas de guiar seu pensamento para a busca de inovações até então não pensadas. Como funciona? Você pega um produto para o qual quer ter boas ideias, chama um grupo eclético de pessoas (podem ter diferentes formações, idades e trabalhar em empresas diversas – quanto mais variado o grupo melhor) e a partir daí pensa em novas possibilidades a partir de diferentes pontos de vista:

scamper-texto

Esses verbos podem guiar seu brainstorming e incentivar o grupo a pensar em como fazer diferente.

Vamos ver um exemplo. Que tal imaginar que você é um fabricante de doce de leite.

Como o SCAMPER pode te ajudar?

Substituir – Substituir o açúcar por outro ingrediente com menos calorias. Ou por açúcar mascavo. Substituir o local onde o doce é feito. Em vez d panela de alumínio, panela de ferro ou mesmo de barro.

Combinar – Pode combinar mais que “doce de leite com queijo”. Pode combinar com frutas, com chocolate, com biscoito.

Adaptar – Pode fazer ele em pasta, em barra, para cortar, para beber. Fazer balas de doce de leite.

Modificar – A embalagem, o rótulo, a quantidade. Podemos modificar a receita, colocando especiarias (cravo, canela, noz moscada)

Propor novos usos – Fazer sorvete, bolos, cobertura, recheio são alguns novos usos.

Eliminar – Podemos eliminar as calorias (seria um sonho), a cor, a embalagem (e vender a granel).

Rearrumar – Fazer uma cascata de doce de leite (como é feita com chocolate em algumas lojas). Criar embalagens para viagem. Doses individuais.

Se você quiser um modelo para usar como guia numa sessão de SCAMPER, você pode baixar aqui. Se gostaria de conhecer outras técnicas que incentivam a criatividade e inovação, entre mande um email (menta@laboratorium.com.br) e vamos marcar uma conversa. Preparei vários formatos de cursos e workshops que, de maneira simples, podem fazer você e sua equipe serem mais criativos. Enquanto isso, vá praticando o SCAMPER e exercite o “pensar diferente.

 

Por Marcelo Pimenta (Menta90). Jornalista, professor e criador do blog Mentalidades.
Conheça as palestras e cursos que ele oferece e saiba como ele pode te ajudar a inovar.

Comentários facebook

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *